sem muito saber, me rendendo as palavras que vêm

unnamed

Encaminhando neste mundo
Corpo a corpo com o desconhecimento de mim

Eu que amo!
Eu que quero!

(Sabendo que querer não é suficiente
Nem amar talvez seja)

O importante mesmo é a convenção

O que já está meio caminho andado é dica do universo
É caminho de quem quer conforto

Risco é rasgar se por algo que não se sabe
Algo sem garantia

Riscar se de ser o que o coração pede
Esse senhor sem ponderação

Sem mente
Semente daquilo que brota lá
Aqui sabe?

Esse lá que é dentro da gente
Nosso mais que parece tão descrente
Tão distante

Viajamos de nos mesmos
Para que depois de se cansar bastante

voltamos
Seguimos o profundo
O lá que é aqui
Que sempre estava aqui

Essa casa da gente
Que não tem lugar fixo não

É andarilho
É viagem

É um lugar que vai junto com a gente pra onde a gente quiser ou tiver que ir

De repente
O que não se pode garantir fica sendo a nossa única garantia para os outros,
a nossa única real honestidade.

Deixe uma resposta